The day after

Acho que já estou gostando dessa brincadeirinha de blogueira-to-be. Continua a chover, mas eu voltei para o meu projeto de blog assim mesmo. Em algum lugar do mundo deve estar fazendo um sol glorioso – como no Aterro do Flamengo semana passada, onde fotografei uma das muitas palmeiras “coryphas” que estão florindo pela primeira vez em cinquenta anos. O extraordinário esforço que estas palmeiras fazem para florir e perpetuar a espécie é maior que a própria vida, pois dentro de pouco tempo, quando as flores secarem, elas morrerão. Mas outras já estão crescendo por todo o parque e assim não vamos ter que esperar mais cinquenta anos para assistir a este show da natureza, aqui no nosso quintal.

A palmeira "corypha umbraculifera" só florece depois de 50 anos, para morrer em seguida

Estréia

Hoje é o meu primeiro dia de blogueira. É meio estranho escrever este texto numa noite de chuva de verão, num lugar perdido na serra de Itaipava, sabendo que amanhã ele poderá ser lido por qualquer pessoa do planeta. Dá um pouco de insegurança na gente. “Borboletas na barriga”, diriam os gringos.

Mas para frente é que se anda e então vamos nessa.  Parem o bonde que eu também quero entrar!  Só que antes preciso conhecer melhor os segredos desta nova geringonça.

Choveu hoje o dia inteiro - chuva boa de verão, copiosa e fértil

 

Amanhã escrevo mais… se não chover. (Duvido muito!)